sexta-feira, 23 de junho de 2017

Contratação de hospedagem

Arte: Procon-SP

Vai viajar? Fique atento às dicas do Procon-SP para a contatação do serviço de hospedagem:

- Veja se próximo ao local  escolhido existe fácil acesso a transporte, farmácias, restaurantes entre outros serviços;

- Verifique se o estabelecimento possui algum panfleto publicitário e, em caso positivo, peça para que seja enviado um exemplar. Esse material pode ser adquirido em revistas e guias especializados, junto a conhecidos que já tenham se hospedado no local, além de anúncios na Internet;

- Confirme os horários de início e término da diária e se há refeições inclusas;

- Pesquise preços e veja a avaliação do local escolhido. Há diversos sites e aplicativos que oferecem esse tipo de busca;

- Se o que foi combinado na contratação deixar de ser cumprido, formalize uma queixa no estabelecimento. Não havendo solução, procure o órgão de defesa do consumidor de sua cidade ou recorra ao Poder Judiciário.  Procure munir-se de documentos que comprovem o ocorrido (fotos, print do site, cópia do contrato, etc..).

Uso do cofre

Caso utilize o cofre do hotel para guardar dinheiro, objetos de valor ou documentos, verifique se: existe alguma taxa por este serviço; se  o uso é individual ou coletivo; quem tem acesso; o horário de funcionamento e se há cobertura de seguro. 

Contratação pela internet e sites de compras coletivas

Os sites de compras coletivas possuem diversas ofertas de hospedagens e agências de turismo. Os grandes descontos prometidos podem atrair o interesse do consumidor, que deve ficar atento a todos os detalhes da oferta. Em caso de dúvida, consulte o SAC da empresa. 

Em caso de problemas com o serviço contratado, tanto o hotel (pousada e afins) que fez a oferta como o site de compra coletiva podem ser procurados, pois ambos são responsáveis por solucionar a questão.

Lembrando que nas contratações feitas pela internet ou por telefone, o consumidor tem até sete dias para exercer o seu direito de arrependimento e cancelar a hospedagem sem ônus - artigo 49 do Código de Defesa do Consumidor.




terça-feira, 20 de junho de 2017

Cuidados para viajar com seu animal de estimação

Atualizado em 20/6/2017


Muita gente que colocará o “pé na estrada” durante as férias do meio do ano e pretende ter a companhia do seu animal de estimação deve observar alguns cuidados para transportar seu amiguinho com segurança.

No avião
  • De acordo com as regras da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), o transporte de animais é cobrado à parte e o dono precisa reservar a passagem com antecedência, pois muitos voos limitam o número de animais a ser transportado.
  • A Anac determina a obrigatoriedade de apresentação do atestado de saúde e comprovante de vacinação do animal. Além disso, ele deve ser transportado em compartimento fechado e revestido com material que contenha e absorva urina e fezes, evitando vazamento durante o transporte.
  • As companhias aéreas também possuem regulamento próprio para o transporte, consulte-o antes de comprar as passagens.
  • Em viagens internacionais, o bichinho deve passar por uma consulta com um veterinário do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Além disso, o dono precisa obter informações sobre as regras federais do país de destino para evitar qualquer problema na hora do desembarque.
Veja mais sobre o tema na cartilha de bagagem da Anac. 

No ônibus

  • Para viajar de ônibus, também é necessário apresentar atestado que comprove as boas condições de saúde do animal.
  • O dono deverá pagar uma passagem extra para acomodá-lo ao seu lado.
  • O animal não pode ficar solto a bordo do ônibus e deverá estar guardado em um transporte apropriado (gaiola ou caixa).
  • Também é importante consultar a empresa de ônibus para saber quais são suas regras para o transporte de animais (geralmente existe a limitação de dois em cada viagem).

Atenção! Caso o consumidor utilize cão-guia, não precisará pagar pelo transporte, seja em viagens de avião ou de ônibus. É importante consultar as condições e a documentação necessária junto à empresa responsável pelo transporte.

O formulário do atestado sanitário poderá ser obtido no site do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (www.agricultura.gov.br)

No carro

O animal deve ser transportado em caixa ou utilizando cinto de segurança apropriado. Não é permitido que ele viaje no colo ou do motorista ou com a cabeça fora da janela, isso pode trazer riscos à segurança dos ocupantes do veículo e multa.


segunda-feira, 19 de junho de 2017

Segundo o Inmetro, 'hand spinner' não é indicado para menores de 6 anos

Das mais diversas cores e tamanhos, os "hand spinners" são a nova sensação do público infantil — e não apenas dele. De crianças a idosos, o brinquedo que permite que o usuário faça diferentes movimentos é sucesso no mundo todo, e garante reduzir ansiedade, stress e até mesmo a melhorar a concentração. Apesar disso, um levantamento realizado pelo Inmetro identificou acidentes de consumo em outros países, envolvendo o produto. A recomendação do instituto é que o uso do brinquedo seja supervisionado por um adulto.

"Responsáveis devem ficar atentos à indicação da faixa etária e aos possíveis riscos que o brinquedo pode oferecer. Ele é contraindicado para crianças com idade inferior a 6 anos. Caso já tenham sido adquiridos, o Inmetro recomenda que sejam retirados imediatamente das mãos dessas crianças", disse em nota o Instituto.

O órgão também informa que o produto só pode ser vendido se ostentar o selo de identificação da conformidade. Leia mais no site O Globo - Defesa do Consumidor.